terça-feira, 30 de novembro de 2010

Águia ou galinha (do livro Insight I)

                                                       

“Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo em sua casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Colocou-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para galinhas. Embora a águia fosse o rei/rainha de todos os pássaros.

Depois de cinco anos, este homem recebeu a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:

– Este pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.

– De fato – disse o camponês. É águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais uma águia. Transformou-se em galinha como as outras, apesar das asas de quase três metros de extensão.

– Não – retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração há fará um dia voar às alturas.

– Não, não – insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.

Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse:

– Já que de fato você é uma águia, já que você pertence ao céu e não a terra, então abra suas asas e voe!

A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.

O camponês comentou:

– Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!

– Não – tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia. E uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã.

No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurou-lhe:

– Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!

Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas.

O camponês sorriu e voltou à carga:

– Eu lhe havia dito, ela virou galinha!

– Não – respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia, possuirá sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.

No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas.

O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:

– Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra as suas asas e voe!

A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte.

Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergueu-se soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez para mais alto. Voou... voou... até confundir-se com o azul do firmamento...”

Esta parábola evoca dimensões profundas do espírito, indispensáveis para o processo de realização humana: o sentimento de auto-estima, a capacidade de dar a volta por cima das dificuldades quase insuperáveis.

Cada pessoa tem dentro de si uma águia. Ela quer nascer. Sente o chamado das alturas. Busca o sol.

(...)

As pessoas que alçam vôo sublime são as que se recusam a deitar-se, a suspirar e desejar que as coisas mudem! Tais pessoas não reclamam sua sorte e tampouco sonham, passivamente, com algum navio longínquo que vai chegando. Em vez disso, visualizam em suas mentes que não são desistentes; não permitirão que as circunstâncias da vida as empurrem lá para baixo, e as mantenham subjugadas como galinhas.

Vamos, voe... Voe e vença, ocupe o lugar a que é seu no alto do penhasco.

A águia gosta de pairar nas alturas, acima do mundo, não para ver as pessoas de cima, mas para estimulá-las a olhar para cima. (Elisabeth Kübler – Ross)

domingo, 28 de novembro de 2010

Vícios

                                      
Uma das graves problemáticas da humanidade é a utilização de drogas.

Das drogas pesadas, como heroína, cocaína às drogas socialmente aceitas, como álcool e fumo. Não menos danosas.

Drogas que geram dependência e um sem número de outras dificuldades ao corpo e ao espírito.

A questão toma conta dos lares e é possível que muitos de nós não utilizemos nenhuma das enumeradas.

Mas, é muito certo que alguns usemos antidepressivos, soníferos e estimulantes para estarmos bem humorados. Drogas para emagrecer, para estimular a libido, para dar euforia.

Se desejamos erradicar o problema do mundo, devemos iniciar por nós. Como?

Começando.

Para isso, alguns itens nos podem servir de ferramentas.

Primeiro: façamos uma lista dos nossos vícios e a coloquemos no espelho, para diariamente olhar e ler.

Por exemplo: eu gosto de tomar substância alcoólica. Ou: gosto de fumar.

Esta semana vou trabalhar pela minha saúde.

Aí, iniciemos o trabalho terapêutico. Raciocinemos:

Sou uma pessoa de consciência. Não vou gastar para me matar de maneira dolorosa.

O cigarro causa cânceres na boca, no aparelho respiratório e no aparelho digestivo.

O álcool produz degenerescência do aparelho digestivo, do pâncreas, dos pulmões, do fígado. Alucina. Eu sou inteligente. Não vou usar.

Cada semana trabalhamos um vício. Um de cada vez.

Segundo: afirmemos - eu me amo.

Se eu me amo, zelo por mim. Por isso, devo me melhorar a cada dia.

Preocupemo-nos em ser melhores. Em vez de perseguir o sucesso do mundo, invistamos no êxito sobre as nossas paixões.

Terceiro: evitemos dizer: nunca mais. Nunca mais eu fumarei. Nunca mais tomarei álcool.

Façamos como recomenda o código dos alcoólicos anônimos: hoje eu não tomarei álcool. Só hoje.

Quando vier amanhã, repetirei: só hoje. E assim a cada dia, dia por dia.

Passo a passo, conquista a conquista.

Quarto: digamos: eu mereço ser feliz.

Necessitamos melhorar a nossa auto-estima. Deixar de se considerar a última das criaturas, aquela para a qual tudo acontece de ruim.

Problemas todos os têm. Somente os alienados não se dão conta de que os têm.

Com auto-estima, nos acreditamos merecedores de felicidades. Têm-se desafios a vencer, porque estamos vivos.

E, finalmente, quinto item: eu nasci para amar.

Fui criado por amor, sou sustentado pelo amor de Deus e fui talhado para o amor.

Para amar, eu necessito viver sem conflitos, sem marcas, livre de quaisquer dependência.

Acreditemos: podemos mudar o mundo, acabar com as drogas, começando por nós.

Para mudarmos o mundo é necessário que mudemos a nós mesmos.

###

Diante do arquipélago celular que constitui o corpo, a verdadeira felicidade é, de início, se encontrar vivo.

Logo depois, é a inefável alegria de ter consciência da própria fragilidade.

Também das infinitas possibilidades de realização moral, que decorre da coragem para conseguir a auto-iluminação.

Por tudo isso, não deixemos para amanhã a nossa tomada de decisão.

Comecemos hoje a construção do dia melhor do amanhã.



Texto da Redação do Momento Espírita, a partir do cap. 9 do livro eu me amo.


Eu não tenho vícios. Ferramentas espirituais contra os vícios, de Divaldo Pereira Franco, ed Leal e do cap. 9 do livro Iluminação interior, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal

Sempre não é todo dia

           Tem dias que gostaríamos de não acordar, ou como diria a Clarice Lispector "Bom é estar triste e não dizer nada".
           Gostaríamos de só ficar quietos, parados,inertes. Descobrir o porque dos nossos erros e tentar não mais errar, ocorre que existem erros que se repetem, são insistentes...
            Não adianta, é complicado, mais complicado ainda é ter a certeza que devemos seguir em frente, colando os pedaços do que foi quebrado, buscar um estímulo, tomar um gole(ou dois) de coragem e partir para a descoberta do novo mundo. Fazer a transição entre o velho e o novo. Viver e não simplesmente, existir! 

                                            

Eu hoje acordei tão só

Mais só do que eu merecia

Olhei pro meu espelho e ah....

Gritei o que eu mais queria

Na fresta da minha janela

Raiou, vazou a luz do dia

Entrou sem me pedir licença

Querendo me servir de guia

Na fresta da minha janela

Raiou, vazou a luz do dia

Entrou sem me pedir licença

Querendo me servir de guia

Eu que já sabia tudo

Das rotas da astrologia

Dancei e a cabeça tonta

O meu reinado não previa

Olhei pro meu espelho e ah....

Meu grito não me convencia

Princesa eu sei que sou pra sempre

Mas sempre não é todo dia

Olhei pro meu espelho e ah....

Meu grito não me convencia

Princesa eu sei que sou pra sempre

Mas sempre não é todo dia

Botei o meu nariz a postos

Pro faro e pro que vicia

Senti teu cheiro na semente

Que a manhã me oferecia

Eu hoje acordei tão só

Mais só do que eu merecia

Eu acho que será pra sempre

Mas sempre não é todo dia

Eu hoje acordei tão só

Mais só do que eu merecia

Eu acho que será pra sempre

Mas sempre não é todo dia...





















sábado, 27 de novembro de 2010

Não quero alguém que morra de amor por mim...


Não quero alguém que morra de amor por mim...

Só preciso de alguém que viva por mim,

que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,

quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto,

gostem de mim...

Nem que eu faça a falta que elas me fazem,

o importante pra mim é saber que eu,

em algum momento, fui insubstituível...

E que esse momento será inesquecível...

Só quero que meu sentimento seja valorizado.

Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto,

mesmo quando a situação não for muito alegre...

E que esse meu sorriso consiga transmitir paz

para os que estiverem ao meu redor.

Quero poder fechar meus olhos e imaginar ALGUÉM...

E poder ter a absoluta CERTEZA de que esse ALGUÉM

TAMBÉM PENSA EM MIM QUANDO FECHA OS OLHOS,

que faço falta quando não estou por perto.

QUERIA ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,

alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...

Que me veja como um ser humano completo,

que abusa demais dos bons sentimentos que a vida lhe proporciona,

que dê valor ao que realmente importa, que é meu sentimento...

E não brinque com ele.

E que esse alguém me peça para que eu nunca mude,

para que eu nunca cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.

Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer,

quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...

Que ele é superior ao ódio e ao rancor,

e que não existe vitória sem humildade e paz.

Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar,

amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos,

TALVEZ obterei êxito e serei plenamente feliz.

Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...

Que a esperança nunca me pareça um "não"

que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".

Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa,

de poder dizer a alguém o quanto ela é especial e importante pra mim,

sem ter de me preocupar com terceiros...

Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.

Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...

Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a as pessoas,

que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...

E que valeu a pena!!!



                                                                            (Mário Quintana)

Versos Íntimos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável

Enterro de tua última quimera.

Somente a Ingratidão - esta pantera -

Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!

O Homem, que, nesta terra miserável,

Mora, entre feras, sente inevitável

Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!

O beijo, amigo, é a véspera do escarro,

A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,

Apedreja essa mão vil que te afaga,

Escarra nessa boca que te beija!
                                                        

                                                                        Augusto dos Anjos





                                                              

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Os Tamanhos

                                           
Os tamanhos variam conforme o grau de envolvimento. Uma pessoa é enorme para você, quando fala do que leu e viveu, quando trata você com CARINHO e RESPEITO, quando olha nos olhos e sorri destravado.

É pequena para você quando só pensa em SI MESMA, quando se comporta de maneira pouco GENTIL, quando fracassa JUSTAMENTE no momento em que teria que demonstrar o que há de mais importante entre duas pessoas: A AMIZADE, o RESPEITO, o CARINHO, o ZELO, e até mesmo o AMOR.
 
Uma pessoa é GIGANTE para você quando se interessa pela SUA vida, quando busca alternativas para o seu CRESCIMENTO, quando sonha JUNTO com você. E pequena quando DESVIA o assunto.
 
Uma pessoa é grande quando PERDOA, quando compreende, quando SE coloca no lugar do OUTRO, quando age NÃO de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de SI MESMA. Uma pessoa é PEQUENA quando se deixa reger por comportamentos CLICHÊS.
 
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro de um relacionamento, pode CRESCER ou DECRESCER num espaço de poucas semanas. Uma DECEPÇÃO pode diminuir o tamanho de um AMOR que parecia ser grande. Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ínfimo.
 
É difícil conviver com esta elasticidade: pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos. Nosso julgamento é feito não através de centímetros e metros, mas de ações e reações, de expectativas e frustrações.
 
Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la inesperadamente, se torna mais uma.

O EGOÍSMO unifica os INSIGNIFICANTES.
 
Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande, é sua SENSIBILIDADE, sem tamanho.

                                                                        Willian Shakespeare

                          ... Pra bom entendedor ....



Creedence Clearwater Revival - Have you ever seen the rain?



Amo essa música é demais mesmo!!!

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Corações distantes



Um dia, um pensador indiano fez a seguinte pergunta a seus discípulos:

"Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?"

"Gritamos porque perdemos a calma" disse um deles.

"Mas, por que gritar quando a outra pessoa está ao seu lado?"

Questionou novamente o pensador.

"Bem, gritamos porque desejamos que a outra pessoa nos ouça", retrucou outro discípulo.

E o mestre volta a perguntar:

"Então não é possível falar-lhe em voz baixa?"

Várias outras respostas surgiram, mas nenhuma convenceu o pensador.
Então ele esclareceu:

Vocês sabem porque se grita com uma pessoa quando se está aborrecido?

O fato é que, quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito.

Para cobrir esta distância precisam gritar para poderem escutar-se mutuamente.

Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para ouvir um ao outro, através da grande distância.

Por outro lado, o que sucede quando duas pessoas estão enamoradas?

Elas não gritam. Falam suavemente. E por quê?

Porque seus corações estão muito perto.

A distância entre elas é pequena.

Às vezes estão tão próximos seus corações, que nem falam, somente sussurram.

E quando o amor é mais intenso, não necessitam sequer sussurrar, apenas se olham, e basta. Seus corações se entendem.

É isso que acontece quando duas pessoas que se amam estão próximas.

Por fim, o pensador conclui, dizendo:

"Quando vocês discutirem, não deixem que seus corações se afastem, não digam palavras que os distanciem mais, pois chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta".

Pense nisso!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Como milho de pipoca

                                                    
"Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho por toda a sua vida."

Assim acontece com a gente. As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem. Acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo.

O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. DOR. Pode ser fogo de fora: perder um amor, pessoas queridas, o emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão- sofrimento cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso do remédio: Apagar o fogo! Sem fogo o sofrimento diminui. E, com isso a possibilidade da grande transformação também.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que não terá salvação. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem prévio aviso, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece.

BUM! E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, recusam-se a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. O destino delas é triste. Ficarão duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.

          Pensem nisso... A vida nos ensina muita coisa, basta querermos aprender. Devemos estar sempre abertos a mudanças, elas nos fazem crescer. Nada acontece por acaso...

 
 
Desconheço o autor.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Faxina na Alma (Carlos Drummond Andrade)



Não importa onde você parou...

em que momento da vida você cansou...

Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...

é renovar as esperanças na vida e o mais importante...

acreditar em você de novo.

Sofreu muito nesse período?

foi aprendizado...

Chorou muito?

foi limpeza da alma...

Ficou com raiva das pessoas?

foi para perdoá-las um dia...

Sentiu-se só por diversas vezes?

é porque fechaste a porta até para os anjos...

Acreditou que tudo estava perdido?

era o início da tua melhora...

Pois é... agora é hora de reiniciar... de pensar na luz...

de encontrar prazer nas coisas simples de novo.

Um corte de cabelo arrojado... diferente?

Um novo curso... ou aquele velho desejo de aprender

pintar... desenhar... dominar

o computador... ou qualquer outra coisa...

Olha quanto desafio...

quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.

Tá se sentindo sozinho?

besteira...

tem tanta gente que você afastou com o seu "período de

isolamento"...

tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu

para "chegar" perto de

você.

Quando nos trancamos na tristeza...

nem nós mesmos nos suportamos...

ficamos horríveis...

o mal humor vai comendo nosso fígado...

até a boca fica amarga.

Recomeçar... hoje é um bom dia para começar novos

desafios.

Onde você quer chegar? ir alto... sonhe alto... queira o

melhor do melhor...

queira coisas boas para a vida...

pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos...

se pensamos pequeno... coisas pequenas teremos...

já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente

lutarmos pelo melhor...

o melhor vai se instalar na nossa vida.

E é hoje o dia da faxina mental...

joga fora tudo que te prende ao passado...

ao mundinho de coisas tristes...

fotos... peças de roupa, papel de bala... ingressos de

cinema...

bilhetes de viagens...

e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos

julgamos apaixonados...

jogue tudo fora...

mas principalmente... esvazie seu coração...

fique pronto para a vida... para um novo amor...

Lembre-se somos apaixonáveis...

somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...

afinal de contas...

Nós somos o "Amor"...

Porque somos do tamanho daquilo que vemos, e não do

tamanho da nossa altura.

Sempre vai existir um ser além de nós, e confia

nele agora, que ele guiará os teus passos.

                                                                     Carlos Drummond Andrade


domingo, 21 de novembro de 2010

Vergonha de ser honesto

Talvez muitas pessoas não conheçam o ilustre autor do trecho do texto abaixo (o que é uma pena!) o que ele escreveu em 1914 cabe perfeitamente nos dias atuais.
Desde os meus 14 anos aprendi a admirar este homem que além de excelente advogado também foi jornalista.
Nossa sociedade precisa de mais exemplos como os deixados por ele; espero que apreciem...



"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".
                                                                Rui Barbosa

sábado, 20 de novembro de 2010

Leia Hoje...Não Amanhã!

Amanhã pode ser tarde

                                

 Ontem?...Isso faz tempo!...


Amanhã?...


Não nos cabe saber...


Amanhã pode ser muito tarde,


Para você dizer que ama,


Para você dizer que perdoa,


Para você dizer que desculpa,


Para você dizer que quer tentar de novo...


Amanhã pode ser muito tarde


Para você pedir perdão,


Para você dizer:


Desculpe-me, o erro foi meu!..


O seu amor, amanhã, pode já ser inútil;


O seu perdão, amanhã, pode já não ser preciso;


A sua volta, amanhã, pode já não ser esperada;


A sua carta, amanhã, pode já não ser lida;


O seu carinho, amanhã, pode já não ser mais necessário;


O seu abraço, amanhã, pode já não encontrar outros braços...


Porque amanhã pode ser muito...muito tarde!


Não deixe para amanhã para dizer: Eu amo você!


Estou com saudades de você! Perdoe-me! Desculpe-me!


Esta flor é para você! Você está tão bem!...


Não deixe para amanhã


O seu sorriso, O seu abraço, O seu carinho,


O seu trabalho, O seu sonho, A sua ajuda...


Não deixe para amanhã para perguntar:


Por que você está triste? O que há com você?


Ei!...Venha cá, vamos conversar...


Cadê o seu sorriso? Ainda tenho chance?...


Já percebeu que eu existo?


Por que não começamos de novo?


Estou com você. Sabe que pode contar comigo?


Cadê os seus sonhos? Onde está a sua garra?...


Lembre-se: Amanhã pode ser tarde...muito tarde!


Procure. Vá atrás! Insista! Tente mais uma vez!


Só hoje é definitivo!


Amanhã pode ser tarde...



Obs.: Desconheço o autor.

Eu te amo não diz tudo!

"O cara diz que te ama, então tá!

Ele te ama.

Assunto encerrado. Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas.

Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de quilômetros.

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, por sua saúde, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você quando for preciso.

Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás, e vê-lo(a) tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ele(a) fica triste quando você está triste, e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão.

Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.

Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute:

EU TE AMO NÃO DIZ TUDO!"
                                         
                                           

Obs.: Desconheço o autor...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Princípio

Tudo nesta vida tem, começo, meio e fim...

Escrevo o início a partir do fim. Ou será que é o fim a partir do início?
Bom, o que importa é que mesmo se for um fim, aqui há um começo!

Beijos mil da

Wil.